Feedback: excelente instrumento para desenvolver competências

Descubra a importância de um feedback bem dado e confira dicas de como fazê-lo.

Um dos pontos mais importantes da sua carreira como profissional de RH é a construção de um bom clima organizacional, porque é a partir de um ambiente positivo que os resultados aparecerão. E, uma vez que a comunicação é fundamental para manter um bom clima entre os colaboradores, uma parte importante desse processo é incorporar o feedback na cultura organizacional.

Um dos papeis mais gratificantes do RH e da liderança é extrair o melhor de seu time e engajá-los para que alcancem o máximo de seu desempenho. Por isso, o feedback serve para mostrar a ele o que deve ser ajustado ou deve ser mantido, para que ele consiga trilhar seu melhor caminho. Mas você sabe como fazer com que o feedback não seja apenas uma conversa com cobranças? Veja algumas dicas que podem ajudar:

Planeje

O feedback precisa ser fundamentado, não é um momento de improvisar. Se for necessário, separe um tempo para elencar todos os pontos que precisam ser discutidos na reunião.

Ambiente

Para algumas pessoas, ser chamado para uma conversa pode ser um momento tenso ou gerar um clima de ansiedade. Sendo assim, antes de tudo, crie um clima tranquilo e abra o espaço para que seja um diálogo natural e fluido. Quebre o gelo inicial com uma conversa cotidiana e crie empatia com seu colaborador antes de entrar definitivamente nos assuntos profissionais.

Qualidade

A essa altura, você já sabe da importância de um feedback bem dado, que é completamente diferente de uma conversa normal. Sabemos que não é todo mundo que se sente confortável em dar uma devolutiva negativa, mas tenha em mente que elas são necessárias para o desenvolvimento profissional dos colaboradores. Feedbacks exigem maturidade, tanto para quem dá como quem recebe. Fale de maneira respeitosa e construtiva, evitando palavras como “erro” e “pontos negativos”, que podem ser substituídas por “oportunidades de melhoria”.

Exemplifique

Para facilitar o entendimento, ilustre a sua fala com exemplos e acontecimentos do processo. Isso trará credibilidade a sua fala e aumentará as chances de real entendimento de seu ponto.

Dê abertura

Reconheça que, apesar de esse ser o seu momento de falar, deixe que seu colaborador também se coloque. Não se desespere com possíveis casos de discordância, essa será a sua oportunidade de conseguir enxergar o entendimento sob a outra perspectiva. Portanto, mantenha a escuta ativa, pois insights importantes podem ser coletados dessas conversas.

Periodicidade

Por fim, uma dica que diz menos sobre o feedback em si, mas que se refere ao processo como é feito. Ao marcar uma reunião pontual, você pode torná-la um evento e trazer contornos tensos ao que deve ser uma conversa natural. Experimente incorporar o feedback no dia a dia da sua organização, pois dessa forma você evita que os liderados criem a ansiedade ou se sintam pressionados.

Embora pareça um momento assustador e de muita responsabilidade, lembre-se de que ele é muito importante para você e seus liderados. O feedback é um momento para engajar e desenvolver, e não para frustrar. Alinhe expectativas, percepções e de ajude no caminho para o aprendizado constante. Desejamos a você uma ótima conversa de feedback e que esse retorno se converta em ações positivas no dia a dia da sua organização!