Learn on demand: como usar o microlearning para otimizar a aprendizagem da sua equipe

Neste artigo, vamos mostrar como alguns dos princípios do learn on demand já estão presentes em nossa rotina e de que maneira isso pode ser potencializado com o auxílio do microlearning.

Novos hábitos

Uma das críticas mais comuns ao uso da internet diz respeito ao volume de conteúdo que podemos encontrar nela. De fato, basta navegarmos por alguns instantes em qualquer rede social para logo nos afogarmos em um mar de artigos, notícias e propagandas. Com tanta informação disputando a nossa atenção, surge a ideia de a tecnologia nos deixou mais acomodados, dispersos e rasos.

Se examinarmos com mais atenção, veremos que essa ideia não é inteiramente correta, pois ela ignora o papel ativo que desempenhamos na procura por informações. Lembre-se de que uma das maiores empresas de tecnologia do planeta, o Google, começou como uma ferramenta de busca

Com a popularização dos smartphones e os avanços da internet móvel, podemos buscar por informações a todo momento e em qualquer lugar. E assim fazemos.

Aprender sob demanda

Sempre que procuramos, por exemplo, pelo significado de uma palavra, por uma receita ou por uma maneira de consertar algo em casa, aprendemos algo novo. Google, Youtube e Wikipédia ocuparam os lugares dos antigos dicionários, manuais e apostilas, e nos ensinam sobre qualquer assunto de forma quase inconsciente.

Ao buscarmos informações pontuais para resolver problemas práticos, não temos a sensação de estarmos estudando um conteúdo entediante. A aprendizagem é natural e atende a um desejo sincero de conhecer ou a uma necessidade urgente.

Ora, por que não levar esse princípio para a educação corporativa, uma vez que já estamos acostumados a ele?

Microlearning: a dose certa

A ideia do microlearning não é nova: consiste em distribuir informações em pequenas quantidades em vez de realizar um longo treinamento de horas ou dias. Isso poupa tempo, dinheiro e esforços.

As formas de distribuir a informação podem variar, mas geralmente incluem:

  • Vídeos curtos
  • Infográficos
  • eBooks
  • Podcasts
  • Artigos e dicas

No entanto, é preciso ter cautela. Transmitir um conteúdo sem um contexto e um propósito pode ter pouco impacto na sua aprendizagem ou, até mesmo, confundir o aluno.

É aí que entra o learn on demand. Quando disponibilizarmos esses materiais para consulta, de acordo com as necessidades da nossa equipe, damos ao aluno a possibilidade de aprender no momento ideal. Caso seja uma necessidade pontual, o vídeo ou artigo, por exemplo, cumprirá seu papel e será “descartado” da memória.

Por outro lado, não há nada que impeça o uso do microlearning em um treinamento tradicional: a consulta constante às pílulas de informação irá, com o tempo, garantir sua memorização e complementar a formação do aluno.

Conclusão

Podemos aprender a qualquer momento e em qualquer lugar, então por que não potencializar essa aprendizagem com uma metodologia que se encaixa perfeitamente nessa nova realidade?

Já pensou em orientar sua equipe a utilizar um novo software ou sistema por meio de um tutorial de vídeos curtinhos, sempre acessíveis? Essa é uma das vantagens que a combinação learn on demand e microlearning pode oferecer.